Viagem para Rio Quente/GO

Powered by Rock Convert
O caminho

Sair de casa, pegar estrada, seja para conhecer ou revisitar lugares, traz uma grande satisfação pessoal. Têm locais que deixam aquele gostinho de “quero mais”. Foi com essa sensação, que parti juntamente com meus pais para mais uma visita ao Rio Quente Resorts, na cidade de Rio Quente em Goiás. É uma viagem que fazemos pela terceira vez e novamente fomos de carro, o que torna o passeio um pouco cansativo. Saímos de casa por volta das 08:00hrs e não estávamos com essa pressa toda pra chegar.

 Nossa primeira parada não era tão desejada por mim…rs. Passamos para deixar o Rei em casa, pois infelizmente ele não poderia seguir viagem conosco =( .

São cerca de 740 km de Belo Horizonte, dando em média de 9 a 10 horas até o destino final. Esse tempo é retribuído pelas belas paisagens que são encontradas pelo caminho. Desta vez, o que mais chamou a atenção foi à quantidade de ipês amarelos floridos. Em todo o trajeto, se ficamos um minuto sem ver as belas e imponentes árvores do cerrado, tanto na beira da estrada, quanto ao longe, foi muito. Isso faz com que a distração seja ótima (não para quem está dirigindo…rs).

 

Fizemos algumas paradas e, a partir da cidade de Araguari, percebemos algo estranho no ar e no céu. Aquele tempo carregado, parecendo que viria chuva, nada mais era que um grande incêndio que estava acontecendo nas proximidades da estrada. Isso tornou um pouco mais difícil enxergar bem enquanto dirigia. Com isso, tive que tirar um pouco o pé do acelerador, pra chegarmos no nosso destino de forma segura.

Divisa entre os Estados de Minas Gerais e Goiás
Chegada

Enfim, chegamos, por volta de 18:30hrs, cansados e com muuuita fome. Não víamos a hora de deixar as malas no quarto e sair pra comer algo e descansar. Estômagos nas costas, o primeiro lugar que vimos (ao lado do hotel), sentamos para jantar. Pegamos o cardápio e vimos algo que chama a atenção: a jantinha. Nada mais é que um famoso prato da região, que leva arroz, feijão tropeiro (vai me desculpar, mas igual o mineiro não há), mandioca cozida, salada, espetinho e purê de banana da terra, que por sinal, é muito bom. Já satisfeitos, hora de voltar pro hotel e apagar.

 

O local

A cidade de Rio Quente e sua vizinha Caldas Novas já são bem conhecidas por muitos brasileiros, pois juntas formam a maior estância hidrotermal do mundo.

Rio Quente Resorts e Serra de Caldas

Com propriedades medicinais, as águas têm temperaturas entre 34ºC e 58ºC. Muitos até hoje falam que a origem das águas quentes seriam de um vulcão extinto, localizado na Serra de Caldas, mas estudos científicos comprovaram que as águas quentes são resultantes de águas da chuva, que através de fraturas da rocha, alcançam grandes profundidades e são aquecidas pelo aumento da temperatura no centro da Terra. Após aquecidas, elas retornam pelas fraturas das rochas e tornam as águas dos Resorts e Hotéis de ambas as cidades quentes.

 

O Rio Quente Resorts é um grande complexo, localizado nos pés da Serra de Caldas e possui vários hotéis, como: Hotel Turismo, Hotel Pousada e Cristal Resort, localizado dentro do complexo; Hotel Giardino, Suíte & Flat I, Suíte & Flat III, e o mais novo Eco Aventura Park, fora do complexo. A diversão fica por conta do Hot Park e o relaxamento total por conta do Parque das Fontes. Ambos irei relatar a ótima experiência.

 

Bora curtir: 1º dia

No próximo dia, depois de descansados, bora curtir o que o lugar oferece: água quente. Resolvemos no primeiro dia ficar no Parque das Fontes, de onde brota do chão, toda a água quente da região. Lugar ideal para descansar e aproveitar o relaxamento que as águas quentes trazem. O parque conta com: 8 piscinas naturais de água corrente, onde as águas são trocadas a cada 20 minutos, vindas de 18 nascentes de águas quentes e cristalinas; duchas termais; dois poços pequenos, onde a água é ainda mais quente, além de trilhas e lugares lindos para se ver. E o melhor, tudo isso pode ser desfrutado a hora que quisermos, pois o parque fica aberto 24 horas.

 

Depois de um dia inteiro de curtição, saímos de lá e fomos para o hotel, tomar um banho (mais água…rs) e sair pra comer algo. Como estávamos hospedados no Hotel Giardino, que fica fora do complexo, optamos por comer pelo centrinho da cidade. São muitos os bares e restaurantes e a cada dia iríamos comer algo diferente. Como era o primeiro dia de diversão, comemos e fomos pro hotel descansar.

 

2º dia

No dia seguinte, bora curtir mais, claro. Dessa vez fomos para o Hot Park, o maior parque aquático do mundo com águas naturalmente quentes. É sempre uma boa ideia ir por lá pela manhã pois, diferentemente do Parque das Fontes, ele tem horário de funcionamento, das 09:00 às 17:00hrs. Além disso, as águas lá também são quentes, porém menos que no Parque das Fontes, e o dia estava beeeem quente. Assim que chegamos, percebi uma novidade, que não tinha no parque na última vez que fomos, em 2015. O Hotibum é um lugar para a criançada se divertir e os pais ficarem sossegados, podendo também, participar da brincadeira.

Descendo um pouco mais o parque, demos de cara com o Half Pipe, que é o que eu mais queria ir, pois só pode descer na atração duas pessoas na bóia e meus pais, sem chance…rs. É um escorregador aquático em forma de U, inspirado em pistas de skate. Eu acho um dos mais emocionantes do parque. Será que dessa vez, eu iria conseguir alguém pra descer comigo? Vai lendo o texto, que tem mais história…rs.

Half Pipe
Alguns dos toboáguas

Fomos para a parte das piscinas com bar molhado e é aquela velha história: ficar morgando na água quente o dia todo…rs. Eu, com esse meu jeito impaciente, cansada de ficar somente em um lugar, resolvi sair para curtir outras atrações do parque. O sinônimo de Priscilla é toboágua então resolvi descer em todos em que eu poderia ir sozinha. Desci no Giant Slide, que se desce com boia, no Acqua River, com opções de boia e tapete ( que ainda não havia ido), no Acqua Race, que tem que descer sem boia. Todos são muito divertidos e perdi a conta de quantas vezes fui em todos. Chegou até um momento em que o salva-vidas percebeu que ele me via o tempo todo , e até comentou : ” Nossa, você é animada,hein? “. Resolvi dar uma pausa nos toboáguas e fui curtir um sossego no Lazy River com meus pais.

 

Descida no Giant Slide

 

Assim que o parque fechou, fomos para o hotel, tomar um banho e depois saímos pra comer. Descansamos e resolvemos que iríamos voltar somente mais tarde, para curtir o Parque das Fontes. Por volta das 21:30hrs e após perceber que meus pais “arregaram” o retorno para as águas quentes, eu fui sozinha mesmo. O Rio Quente Resorts disponibiliza ônibus e/ou vans durante 24 horas, para levar os hóspedes até dentro do complexo e de volta para os hotéis.

Novos amigos

Nunca me importei em curtir algo sozinha mas claro que companhias sempre são legais. Um mergulho aqui, outro ali e um homem vem me perguntar se a piscina que eu estava era menos funda, e realmente era. Logo ele chama uma moça. Começamos a conversar. Descobri que eles são um casal de Mogi das Cruzes/SP e que estavam fazendo essa viagem para comemorar 20 anos de casados. Muito legal ver as pessoas felizes. Me identifiquei muito com eles percebi que era arriscado sair uma amizade dali…rs. Hora de voltar pro hotel e voltamos os três, batendo papo, eu contando das aventuras que eu e o Rei fazemos e eles da vida que levam. O papo estava tão bom que marcamos de encontrar no próximo dia pra continuarmos.

Parque das Fontes à noite

 

3º dia

Depois daquele café da manhã farto, fomos pro Hot Park, dessa vez, curtir um pouco da Praia do Cerrado. Uma praia com ondas artificiais, areia branquinha e águas quentes (claro). De longe vejo uma moça participando de uma brincadeira no palco e vi que era minha mais nova amiga…rs. Sentamos todos juntos e aproveitamos a praia. Como era a primeira vez deles no parque, eles não conheciam muito as atrações e daí comecei o serviço de guia…rs. Fomos em todos aqueles toboáguas que citei antes e eles adoraram. Perdemos a conta de quantas vezes fomos em cada um. Divertimos demais.

Fomos para outra área do parque e lá estava ele, o Half Pipe, todo imponente e esperando com que, dessa vez, a Priscilla descesse nele…haha. Era a minha chance e minha nova amiga, Leia, se dispôs a descer comigo. Logo de cara ela já avisou : ” vou com você, mas sentarei na parte de trás da boia, a frente é sua”. Wowww, mais radical ainda, claro que eu queria…rs. Nossa, que emoção! É muito inclinado e a sensação é de que vai cair da boia. Adorei e queria mais, mais e mais. Porém, houve um ato falho…cadê o celular pra filmar/ fotografar minha descida? Mais um motivo pra descer de novo…rs

O maior de todos

Após, fomos para o XPIRADO, o maior toboágua do parque. Ele tem 32 metros de altura e é temático, com um cenário de uma vila de pescadores que após ataques de piranhas, se transformou em uma vila de almas. Muito interessante e bem estruturado, tendo até um aquário com piranhas. O caminho até o topo é muito legal, pois é cheio de mensagens como:  “Você tem certeza que irá?”, “Tá com medinho?”, ” Suas chances de desistir estão acabando!”. Muita gente desiste quando chega lá, só que nós não. O casal adorou, eu adorei sempre (claro) e fomos 3 vezes consecutivas.

Mais um dia aproveitado 100% no parque. Os músculos da minha perna já estavam queimando…rs. Estava contando quantos degraus havia subido até este dia no parque, mas perdi a conta…rs.

À noite fomos para o Toldo do Bosque, assistir as apresentações da equipe de entretenimento do parque. Claro que depois, mais água…rs. Não, não enjoo de água e o que tem pra fazer na cidade é isso…rs. Dessa vez meus pais foram e ficamos por lá até não aguentarmos mais. Bora dormir!

Noite Pop no Toldo do Bosque
4º dia

Após o café da manhã subimos para o Parque das Fontes, pois o Hot Park não abre na quinta-feira. Mesmo com o corpo cansado resolvi ir caminhar no parque. Fui até uma parte muito bonita, muito arborizada e com vista linda para a Serra de Caldas. Vi algumas árvores com identificação, umas advindas de floresta amazônica, outras típicas da mata atlântica, e as de cerrado, que é o que predomina na região. Um casal me perguntou se eu era da região e sabia o que era o pequi. Como são da região sul do Brasil, não conhecem o fruto e expliquei para eles um pouco, principalmente sobre seu sabor marcante. Na parte mais baixa, encontrei um pequeno lago que é formado pelo rio que vem das piscinas quentes. Pra completar o encantamento, uma pequena cachoeira, que cai próximo às corredeiras azuis.

Passamos todo o dia pelo parque e neste dia o sol estava tão forte e a água tão quente, que cheguei a sentir um pouco de mal-estar. A pressão deu uma caída e tive que procurar algum local com água mais fresca…mas não tem…rs. Tive que comprar uma água mineral gelada pra ver se eu melhorava. Logo estava melhor e pude curtir novamente.

Jantar temático

À noite fomos até o Cristal Resort para um jantar temático português. IMPRESSIONANTE o tanto de variedade que tinha no jantar, uma coisa de outro mundo. Resolvemos conhecer um pouco deste hotel e, como nossos amigos estavam hospedados por lá fomos conhecer o quarto. Ficamos batendo papo até a hora de voltar pro nosso hotel…rolando de tão cheios. Pra variar, fui no hotel basicamente pra pegar meu roupão e voltar pra água. Juro, não dava pra dormir com a barriga cheia daquele jeito. Encontrei com o casal de amigos e ficamos batendo papo até tarde. Era hora de voltar pro hotel e começava a saga de secar o cabelo. Sério, cabelos cacheados não combinam com secador.

 

5º dia

Acordamos e fomos para o Hot Park. Eu estava na dúvida se iria fazer alguma atividade extra, como o Rafting ou Mega Tirolesa, mas acabei optando por não ir desta vez ($$$). Enquanto meu pai ficava na piscina curtindo a parte do bar molhado, saí com minha mãe para fazer algumas fotos. No parque tem um lago imenso, de águas claras, onde tem atividades como caiaque, snorkeling, tirolesarapel, stand up paddle e mergulho com cilindro. Voltamos e encontramos com o casal de amigos e curtimos todo o dia por lá.

À noite, saímos juntos para comer e fomos assistir mais uma atração no Toldo do Bosque. Neste dia o tema seria “Noite Goiana”, só que quando chegamos lá, a banda estava tocando música nordestina. Juro que fiquei sem entender.

Curtimos até por volta das 01:00hr e voltamos para o hotel. Tínhamos que descansar para acordar cedo no outro dia, para aproveitarmos nosso último dia de diversão.

6º dia: último dia de diversão

Acordei cedo pois ia encontrar com o casal no Hot Park, para mais uma sessão de várias descidas nos toboáguas. Desta vez levamos os celulares com as capas e fotografamos e filmamos tudo, onde era permitido o uso dos aparelhos. Enfim, desci mais vezes no Half Pipe. Como nos finais de semana o parque sempre fica mais cheio, encaramos +ou- 45 min de fila para descer pela última vez no XPIRADO. Fomos em todos os toboáguas novamente até não aguentar mais e a parte da tarde foi de descanso com meus pais na Praia do Cerrado. Aquela sensação de está acabando já estava tomando conta e cada minuto tinha que ser aproveitado.

Vídeo da descida no Half Pipe

No fim da tarde, seguimos em direção ao nosso hotel, pra descansar um pouco e jantar. Combinamos todos que iríamos ficar no Parque das Fontes até não aguentar mais e, quando assustamos, o relógio já estava marcando 01:40hr da madrugada, o que significava que era hora de nos despedirmos desse lugar mágico e das pessoas especiais que conhecemos.

Jantar de despedida

Fomos dormir já era quase 02:40hrs e tínhamos que descansar bem, para encararmos a estrada logo mais.

De volta para minha terra

É chegada a hora que dizer tchau, de cair na estrada e voltar para nosso lar. Foi uma viagem em família muito feliz, onde momentos foram eternizados através de fotos e vídeos e que pessoas que mal sabíamos que existiam se tornaram possíveis amigos pra vida toda. Aproveitar um lugar maravilhoso, cheio de encantos e saber que, aquele gostinho de quero mais, ainda irá persistir e que o certo a se falar é: Até breve, Goiás!

Queremos saber a sua opinião sobre o nosso conteúdo!